TEXT NECK – CONHEÇA A SÍNDROME DO “PESCOÇO DE TEXTO”

TEXT NECK – CONHEÇA A SÍNDROME DO “PESCOÇO DE TEXTO” OU “PESCOÇO TECNOLÓGICO”

TEXT NECK – CONHEÇA A SÍNDROME DO “PESCOÇO DE TEXTO” OU “PESCOÇO  TECNOLÓGICO”

Olhar para baixo em seu telefone celular ou tablet por longas horas pode causar tensão no pescoço e dor – uma condição referida como “pescoço de texto” ou “pescoço tecnológico”.

Os médicos de gerenciamento de dor estão tratando problemas associados com Postura Corporal incorreta devido ao estilo de vida moderna.

A tecnologia é uma dádiva para nós os seres humanos, mas pode ter efeitos negativos sobre a vida e sua saúde. Quanto maior a quantidade de tempo que você passa inclinando sua cabeça para frente da tela do celular maior dano que você causa no pescoço,  coluna vertebral e nos ombros, pois causa uma pressão intensa nas porções frontais e posteriores do pescoço.

Isso coloca você no risco da condição recém-diagnosticada denominada “texto pescoço “ou” pescoço tecnológico “- tensão e dor causadas pelo tempo inclinado em uma posição indevida para visualizar a tela do celular.

Olhar fixamente em seu telefone afeta continuamente a postura. Seus ombros estão curvados para a frente e seu pescoço está tenso em um ângulo desconfortável enquanto você está olhando para a tela.

Sintomas do TEXT NECK

Os sintomas associados ao pescoço tecnológico incluem esporões ósseos, dor crônica e irritante, afiada, severa espasmos musculares da parte superior das costas, tensão ocular, dores de cabeça e dor no pescoço, costas, ombros e braços pares.

Os danos à coluna vertebral podem piorar ao longo do tempo. Especialistas dizem que, se não for tratado, a condição pode levar a complicações graves como artrite, achatamento da curva da coluna vertebral, disco degeneração, desalinhamento da coluna vertebral, dano muscular e problemas gastrointestinais.

Estatísticas alarmantes “Texto pescoço” é cada vez mais comum, especialmente entre os adolescentes. Estudo recente descobriu que 79% da população entre as idades 18 e 44 têm seus telefones celulares com eles quase todo o tempo – com apenas 2 horas de seu dia passam sem seu celular na mão.

Estatísticas recentes indicam que o adulto médio gasta cerca de 3,6 horas diariamente (1300 horas por ano) em seus dispositivos móveis. Especialistas dizem que a posição é essencialmente equivalente a adicionando 60 lbs, ou mais de quatro bolas de boliche vale o estresse na parte de trás do pescoço! Dificilmente surpreendente que isso cause “pescoço de texto”. Trabalhar no computador com postura incorreta também pode causar este problema postural.

 

Dicas para evitar o pescoço de texto 

Para evitar esta síndrome postural, você deve aliviar a tensão no pescoço: ·        Mova o celular para o nível dos olhos para que a cabeça não precise ser inclinada;·        Faça pausas frequentes ao dirigir ou usar seu smartphone;·        Coloque o monitor do computador ao nível dos olhos. A cabeça deve ser colocada em linha com seus ombros e coluna vertebral. ·        Além disso, sente-se direito quando estiver usando o computador.

Tratamento:

Se você tiver sintomas de “pescoço de texto”, a solução ideal seria consultar seu médico especialista. O tratamento inclui correção de postural, massagem e remédios anti-inflamatórios, mas em alguns casos é preciso tomar medidas mais drásticas como fisioterapia.  Mas cada caso deve ser investigado individualmente pela equipe médica para ser criado um plano de tratamento personalizado que inclua diversas terapias para sua condição. Os centros de reabilitação ​​combinam as mais recentes técnicas de tratamento com modalidades tradicionais para ajudar os pacientes a se recuperar mais rapidamente.

riscos da riscos da automedicação

Riscos da Automedicação

Riscos da Automedicação

Quem nunca tomou um remédio sem prescrição após uma dor de cabeça ou febre? Ou pediu opinião a um amigo sobre qual medicamento ingerir em determinadas ocasiões?
A automedicação, muitas vezes vista como uma solução para o alívio imediato de alguns sintomas, pode trazer consequências mais graves do que se imagina!

 

Riscos da Automedicação:

• Atraso no diagnóstico correto de uma doença, comprometendo o prognóstico do tratamento;
• Reações anafiláticas, como alergias graves;
• Interferência no tratamento de uma doença já existente, diminuindo sua eficácia, devido à mistura com outros medicamentos.

 

OS MAIS PERIGOSOS:

• Antibiótico: tem grande importância em decorrência do crescimento da resistência bacteriana;
• Anti-inflamatório: o uso frequente pode causa reações adversas renais e estomacais, principalmente em pacientes idosos;
• Corticoide: por aliviar grande número de doenças, o uso indiscriminado pode alterar o metabolismo;
• Aspirina: pode ser antitérmico potente, analgésico e anti-inflamatório de ampla utilidade, pode causar toxicidade gástrica, renal e reações alérgicas. É de grande risco em uma região onde a dengue é prevalente.

ALERTA:

Evite recomendações de terceiros;
Não confunda o balconista da farmácia com o farmacêutico;
Ao adquirir medicamento de venda livre, procure orientações de um farmacêutico;
Nenhum medicamento deve ser consumido regularmente sem uma avaliação adequada;
Crianças tem maior risco de intoxicação, pois confundem comprimidos com balas e xaropes com sucos;
Ao consultar um médico, informe-o se já utiliza algum medicamento e se faz uso frequente de bebidas alcoólicas;
Todo sintoma deve ser avaliado mesmo após uma medicação sintomática.

Baixar o PDF do Informativo dos Riscos da Automedicação

 

PPRA PCMSO PCMAT Laudos PPP NTEP/FAP CIPA Ergonomia Ambulatórios Exames Médicos Treinamento CIPA

 

a-importancia-da-protecao-auditiva

A importância da proteção auditiva

A importância da proteção auditiva

Durante uma jornada de trabalho, o trabalhador é exposto a vários níveis de ruído. Em determinadas atividades profissionais, essa exposição é constante e excessiva, podendo provocar a perda irreversível e permanente da audição. No entanto, o uso de protetores auditivos, que devem ser fornecidos pela empresa, protege o trabalhador desse risco.

 

Porque se proteger?

  • Se o ruído obrigada você a gritar para falar com alguém a um metro de distância, é sinal de que é excessivo. Você tem que se proteger.
  • Não adianta dizer: trabalho aqui há  anos e estou ouvindo bem. A perda auditiva não é percebida porque é muito lenta.
  • O único jeito de avaliar a perda auditiva de forma correta é pelo exame audiométrico periódico, feito depois de 14h de afastamento de qualquer ruído.
  • Proteja-se antes de ter qualquer perda. Se você deixar a perda auditiva aumentar, ela vai somar com a perda que todos temos com a idade, e quando você aposentar, não vai ouvir nada bem. Para você não ser um isolado social no futuro, proteja-se hoje.

Use a proteção adequada, recomendada pelo serviço especializado da empresa, que pode calcular a redução do ruído necessária e o tipo mais indicado.

Aprenda a colocar corretamente o protetor. Deve haver treinamento para isso, especialmente se o protetor for de inserção (plug) e especialmente se for de espuma que se expande,

Cuidado com a interferência de outros EPIs. Se você utilizar um protetor tipo concha (abafador), a almofada deve encostar perfeitamente ao redor da orelha. Não laceie o arco para diminuir a
pressão. Ela é necessária para uma boa atenuação.

Mantenha os protetores em bom estado, exija manutenção das partes deterioradas e troque regularmente os protetores descartáveis. Converse sobre o ruído e sobre o seu protetor, com a fonoaudióloga ou o médico ao fazer seu exame audiométrico.

 

Baixar o PDF do Informativo de A importância da proteção auditiva

 

 

PPRA PCMSO PCMAT Laudos PPP NTEP/FAP CIPA Ergonomia Ambulatórios Exames Médicos Treinamento CIPA

 

Como evitar acidentes no trabalho em telhados

Como evitar acidentes no trabalho em telhados

Como evitar acidentes no trabalho em telhados

Atividades em altura exigem rigorosas medidas de proteção. No que se refere ao trabalho em telhados, o trabalhador deve seguir alguns procedimentos de segurança para não correr risco de acidente e queda.

  • Antes de iniciar o trabalho, o profissional deve planejar o trajeto que irá percorrer sobre o telhado.
  •  Também é preciso programar o desligamento de fornos e de outros equipamentos que estejam sob o telhado para evitar a emanação de gases.
  • Em dias de chuva, vento forte, ou quando a superfície estiver escorregadia, a atividade deve ser remarcada, pois o risco de acidentes é grande nestas situações.
  • Uma linha permanente de segurança, constituída de cabo de aço, trilho ou corda sintética, deve ser instalada no telhado.
  • O profissional deve portar um cinturão de segurança, tipo pára-quedista, acoplado ao cabo, corda ou trilho de aço. Isso possibilita uma fácil movimentação sobre toda área de trabalho.
  • Usar também os demais EPI’s obrigatórios para esta atividade: calçado com solado antiderrapante; luvas de raspa; capacete fixado na jugular; e óculos de proteção lateral.
  • A escada também deve ser equipada com linhas de segurança, o que permite o uso de trava-quedas ao longo dos degraus.
  • Nunca pise diretamente nas telhas e nem permita a concentração de pessoas num mesmo ponto do telhado.
  • Para locomoção nas telhas, é recomendado o uso de passarelas antiderrapantes de duralumínio.

 

Baixar o PDF do Informativo de Como evitar acidentes no trabalho em telhados

 

 

PPRA PCMSO PCMAT Laudos PPP NTEP/FAP CIPA Ergonomia Ambulatórios Exames Médicos Treinamento CIPA

Operação de soldagem uma atividade incendiária?

Operação de soldagem uma atividade incendiária?

Operação de soldagem uma atividade incendiária?

O trabalho de soldagem em ooficina pode ser bem controlado, mas quando a solda é feita na área industrial ou em almoxarifados, precisa ser considerada uma operação de alto risco, capaz de produzir incêndios destruidores. Para evitar que ela se torne uma fonte de incêndio ou explosão, é preciso seguir algumas recomendações:

1 – Sempre que possível, realize a soldagem na oficina, que é um ambiente controlado.

2 – Alternativamente, desloque o trabalho para uma área livre externa próxima

3 – Se for mesmo necessário fazer a solda no local, afaste todo material combustível em um raio de 10 metros. Caso não seja possível cubra-os com mantas in combustíveis. Use anteparos para conter a projeção das partículas incandescentes.

4 – Feche passagens entre pisos e ambientes, pois as partículas volantes podem atingir os demais locais, iniciando incêndios.

5 – Pode ser necessário ter um observador de fogo para inspecionar todos os ambientes(local de soldagem, piso abaixo e salas ao lado) até 30 minutos após a finalização do serviço.

6 – Faça com que o serviço seja acompanhado por um integrante de brigada de incêndio, tendo extintores adequados à mão.

7 – Use uma permissão de trabalho especial para a operação de soldagem. A permissão deve ser autorizada por pelo menos 03 pessoas: O responsável pela área onde ocorre a tarefa; pela segurança; e pelo executor da tarefa (manutenção.

8 – A permissão vale apenas para o dia e turno que foi emitida. deve conter checklist completo e as assinaturas dos responsáveis antes e depois da operação, se for requerido um observador de fogo.

Baixar o PDF do Informativo de Operação de soldagem uma atividade incendiária

 

 

PPRA PCMSO PCMAT Laudos PPP NTEP/FAP CIPA Ergonomia Ambulatórios Exames Médicos Treinamento CIPA