Causas Sintomas e Tratamento do Ronco

Causas Sintomas e Tratamento do Ronco

Causas Sintomas e Tratamento do Ronco

 

Ruído provocado por estreitamento ou obstrução nas vias respiratórias superiores durante o sono. O ronco, geralmente, tem causas naturais, mas fatores como obesidade, comida em excesso antes de dormir, tabagismo e ingestão de álcool podem agravar o problema. Para quem ronca, a probabilidade de não ter um bom rendimento durante o dia é maior, pois para essas pessoas, dormir durante a noite é menos reparador. Se pessoas se queixam que você ronca, procure assistência médica especializada. Previna-se mantendo seu peso dentro dos limites saudáveis e praticando atividades físicas regularmente. Evite o cigarro, as bebidas alcoólicas ou alimentação pesada, principalmente antes de dormir

A Final o que é o ronco?

O ronco é um ruído provocado por estreitamento ou obstrução nas vias respiratórias superiores durante o sono.
Esse estreitamento dificulta a passagem do ar e provoca a vibração dessas estruturas.

Preciso me preocupar?

O ronco pode ser considerado normal, quando a pessoa está dormindo em decúbito dorsal (de costas), por exemplo, porque a musculatura da garganta fica mais flácida e a língua cai um pouco para trás. Mas, é classificado como patológico, quando ocorrem grandes vibrações e ruído intenso.

 

O Ronco pode ainda…

ser sintoma da síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS), patologia caracterizada por parada respiratória com duração de pelo menos dez segundos nos adultos, e dois ou três segundos nas crianças.

 

Quais são as causas do ronco?

 

• Flacidez nos músculos da boca e da garganta;
• Amídalas e adenoides hipertrofiadas;
• Desvio do septo;
• Pólipos no nariz;

• Palato em forma de ogiva;
• Rinite, sinusite e obstruções nasais;
• Palato mole e úvula aumentados;
• Queixo retraído;
• Envelhecimento.

Fatores de Risco

Funcionam como fatores de risco ou agravantes do problema:

• Pescoço mais grosso e mais curto;
• Obesidade;
• Ingestão de bebidas alcoólicas;
• Uso de remédios para dormir ou de calmantes;
• Dormir em decúbito dorsal;
• Excessos alimentares antes de dormir;
• Refluxo gastroesofágico;
• Tabagismo.

Tratamento

• Nos quadros mais leves de ronco e apneia, controlar os fatores de risco e a posição de dormir pode ser uma forma eficaz de tratamento.

• Para obrigar-se a dormir de lado, uma boa estratégia é costurar um bolso nas costas de uma camiseta e colocar dentro dele uma bolinha de tênis.

• Pode também ser útil usar, à noite, um retrator de língua, ou seja, uma prótese intraoral móvel, que ajude a manter a boca fechada e a projetar a língua um pouco para a frente.

• Para os casos graves, a melhor indicação é o CPAP nasal. Além de melhorar as crises de ronco, o uso do CPAP afasta o risco de problemas cardiovasculares e de hipertensão.

• A indicação de cirurgia no tratamento do ronco e da apneia do sono tem de ser muito bem avaliada.

Recomendações

Se as pessoas próximas se queixam de que você ronca, leve-as a sério e procure assistência médica especializada;

Recorra a artifícios que possam ajudá-lo a dormir de lado e não de barriga para cima;

Evite ingerir álcool, fumar e dê preferência a alimentos mais leves, especialmente antes de dormir;

Mantenha seu peso em níveis ideais, pratique sempre exercícios físicos;

 

PPRA PCMSO PCMAT Laudos PPP NTEP/FAP CIPA Ergonomia Ambulatórios Exames Médicos Treinamento CIPA

 

Apresentação Ronco – Download Baixar
combate ao aedes aegypti na empresa

Combate ao aedes aegypti na empresa

Combate ao Aedes Aegypti na Empresa

Transmissor da dengue, Chicungunha e do Zika vírus, o Aedes Aegypti também representa riscos aos ambientes de trabalho. Siga as dicas para combater o foco do mosquito e mantenha sua empresa segura. Contribua para disseminação da cultura de prevenção.

 

  • Inclua o combate aos criadouros do Aedes Aegypti nas políticas de Saúde e Segurança Ocupacional de sua empresa;
  • Nomeie uma pessoa responsável por criar um plano com metas e acompanhar as ações. Ela deve prever práticas semanais constantes de vistoria, e manter registros dos focos encontrados para tentar identificar padrões de comportamento que permitam uma nova ação corretiva;
  • Desenhe um plano que preveja etapas, atribua responsabilidades, envolva várias áreas e gere indicadores. Um painel sinalizando a quantos dias a empresa está sem casos das doenças entre os colaboradores pode ser interessante;
  • Envolva a todos nesta luta: líderes, funcionários e fornecedores. As equipes da CIPA e RH, Comunicação e Marketing, devem estar especialmente comprometidas;
  • Lembre-se que envolver é mais que motivar: é preciso informar e treinar. Promova uma SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho) sobre o combate ao mosquito;
  • Avalie os dados obtidos para melhorar seu programa de prevenção.

O AEDES AEGYPTI AFETA TODOS NÓS, ENTÃO TODOS DEVEMOS LUTAR

O Aedes Aegypti e as doenças que ele transmite não fazem distinção de cargo, raça ou credo. E nós também não podemos fazê-lo. Todos devem estar envolvidos, pois todos somos afetados pelo sucesso ou fracasso na batalha contra o mosquito.

A luta contra o Aedes Aegypti é uma batalha pela vida, sua, dos seus colegas, dos seus familiares, e de toda a sociedade. Faça sua parte, espalhe esta idéia!

 

PPRA PCMSO PCMAT Laudos PPP NTEP/FAP CIPA Ergonomia Ambulatórios Exames Médicos Treinamento CIPA

 

Apresentação combate ao Aedes Aegypti na empresa – Download Baixar

 

Vamos falar sobre o câncer de colo de útero?

Vamos falar sobre o câncer de colo de útero?

Vamos falar sobre o câncer de colo de útero?

Vamos falar sobre o câncer de colo de útero?

Vamos falar sobre o câncer de colo de útero?

O que é o câncer de colo de útero?

Câncer de colo de útero, também conhecido por câncer cervical, é uma doença de evolução lenta que acomete, sobretudo, mulheres acima dos 25 anos. O principal agente da enfermidade é papilomavírus humano (HPV), que pode infectar também os homens e estar associado ao surgimento do câncer de pênis.

 

Prevenção do câncer de colo de útero

A prevenção do câncer de colo de útero está diretamente associada ao esclarecimento e avanço educacional da população a respeito dos fatores de risco e de como evitá-los. Dada a importância do diagnóstico precoce, as mulheres precisam ser permanentemente orientadas sobre a necessidade de consultar o ginecologista e fazer o exame de Papanicolaou nas datas previstas, como forma de identificar possíveis lesões ainda na fase de pré-malignidade. ao esclarecimento e avanço educacional da população a respeito dos ao esclarecimento e avanço educacional da população a respeito dos fatores de risco e de como evitá-los. Dada a importância do diagnóstico precoce, as mulheres precisam ser permanentemente orientadas sobre a necessidade de consultar o ginecologista e fazer o orientadas sobre a necessidade de consultar o ginecologista e fazer o exame de Papanicolaou nas datas previstas, como forma de exame de Papanicolaou nas datas previstas, como forma de identificar possíveis lesões ainda na fase de pré-malignidade.

 

Recomendações contra o câncer de colo de útero

  • Não existe idade mínima para as meninas receberem as vacinas disponíveis contra a infecção pelo HPV, apesar de a orientação ser ministrá-la a partir dos 9 anos de idade;
  • Toda mulher precisa estar consciente de que o exame de Papanicolaou realizado periodicamente representa uma estratégia de rastreamento do câncer de colo uterino que pode salvar vidas;
  • Nunca é demais ressaltar, que o uso da camisinha em todas as relações sexuais é um cuidado indispensável contra a infecção não só pelo HPV, mas também por outros agentes de doenças sexualmente transmissíveis.

 

PPRA PCMSO PCMAT Laudos PPP NTEP/FAP CIPA Ergonomia Ambulatórios Exames Médicos Treinamento CIPA

 

Apresentação Completa Sobre o Cancêr do Colo de Útero – Download Baixar
Atenção na classificação de perigos

Atenção na classificação de perigos

Atenção na classificação de perigos

 

Para manter a segurança e a saúde dos trabalhadores que tem contato com produtos químicos, é muito importante que os perigos que cada um deles oferece estejam bem comunicados, tanto por rótulos quanto pela FISPQ (Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos). Saiba quais perigos devem ser classificados de acordo com o GHS (Sistema Globalmente Harmonizado para a Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos) e previna acidentes e adoecimentos.

 

PERIGOS FÍSICOS

  • Corrosivos aos metais
  • Explosivos
  • Gases inflamáveis
  • Gases oxidantes
  • Gases sob pressão
  • Líquidos inflamáveis
  • Sólidos inflamáveis
  • Substâncias auto-reativas
  • Misturas de elementos auto-reativos
  • Sólidos e Líquidos pirofóricos
  • Substâncias ou misturas que, ao entrar em contato com a água, liberam gases inflamáveis
  • Líquidos Oxidantes
  • Sólidos Oxidantes
  • Peróxidos orgânicos

RISCO À SAÚDE

  • Toxicidade agura
  • Corrosão e irritação da pele
  • Lesões oculares graves
  • Irritação Ocular
  • Sensibilidade Respiratória
  • Sensibilidade na pele
  • Mutação em células germinativas
  • Carcinogenicidade
  • Toxicidade à reprodução
  • Toxicidade sistêmica para órgão alvo com exposição múltipla e única
  • Perigo de Aspiração

PPRA PCMSO PCMAT Laudos PPP NTEP/FAP CIPA Ergonomia Ambulatórios Exames Médicos Treinamento CIPA