Insolação você sabe o que fazer?

Insolação você sabe o que fazer?

Insolação você sabe o que fazer?

Um dia de verão à beira da piscina ou do mar, desfrutando do sol intenso, pode não ser um hábito tão inofensivo quanto parece, principalmente se aliado a isso estiver o consumo de bebida alcoólica sem intercalar com a ingestão intensa de água ou suco.

Essa situação, vivenciada tão corriqueiramente ao longo da estação mais quente do ano, pode levar a uma condição séria e fatal, a insolação. Ela ocorre devido ao excesso de exposição ao sol e ao calor intenso, sem a devida hidratação. Com isso a temperatura corporal aumenta bruscamente, o mecanismo de transpiração falha e o corpo não consegue se resfriar.

O QUE É A INSOLAÇÃO?

A insolação é uma condição séria e fatal causada pelo excesso de exposição ao sol e ao calor intenso. Ela acontece quando a temperatura corporal ultrapassa os 40ºC, fazendo com que o mecanismo de transpiração falhe e o corpo não consiga se resfriar.

A insolação pode ocorrer quando a pessoa passa muito tempo em um ambiente com sol, se está trabalhando em locais com alta temperatura ou se exercitando em excesso.

Durante a insolação a temperatura do organismo aumenta, o que pode causar a perda de água e de nutrientes importantes. Tanto que o quadro de insolação é considerado emergencial, já que se não for tratada rapidamente pode trazer danos ao cérebro, coração, rins e músculos.

CAUSAS DA INSOLAÇÃO

A insolação é causada por situações em que a pessoa está em ambientes muito quentes ou faz esforço físico que eleva a temperatura do corpo, como:

 

  • Passar o dia sob o sol sem protetor solar
  • Praticar atividades extenuantes
  • Usar excesso de roupas
  • Ficar sem se hidratar por muito tempo

FATORES DE RISCO…

Alguns fatores aumentam o risco de ter uma insolação, como:

  • Não beber líquidos adequadamente;
  • Ter doenças crônicas (como diabetes);
  • Ingerir álcool ou cafeína em excesso.

Algumas pessoas têm mais risco de terem insolação como:

  • Crianças e bebês;
  • Idosos;
  • Pessoas com problemas que levam a desidratação, como quem tem gastroenterite;
  • Pessoas que praticam atividades extenuantes, como atletas, soldados e trabalhadores que realizam atividades que envolvem esforços físicos sob o sol (como pedreiros).

(Algumas medicações também podem aumentar o risco de ter insolação, como vasoconstritores, medicamentos para pressão alta que bloqueiam a adrenalina, diuréticos e alguns antidepressivos e antipsicóticos)

SINTOMAS DE INSOLAÇÃO

A insolação causa sintomas que aparecem aos poucos, como:

  • Cefaleia (dor de cabeça);
  • Tonturas;
  • Náuseas;
  • Pele quente e seca (sem suor), às vezes avermelhada;
  • Pulso rápido;
  • Temperatura corporal elevada;
  • Distúrbios visuais;
  • Fraqueza muscular;
  • Confusão.

Outros sintomas surgem de repente, como:

  • Respiração rápida e difícil;
  • Palidez;
  • Desmaios;
  • Extremidades arroxeadas;
  • Algumas pessoas também podem ter convulsões

PRIMEIROS SOCORROS…

Depois de chamar a emergência, o objetivo dos primeiros socorros em casos de insolação é tirar a pessoa do calor e baixar sua temperatura corporal. Para tanto é preciso:

  1. Remover a pessoa para um local fresco, ventilado e à sombra;
  2. Remover o máximo de peças de roupa possível da pessoa;
  3. Se consciente, mantê-la em repouso e com a cabeça elevada;
  4. Oferecer bebidas geladas, principalmente água;
  5. Borrifar água fria sobre o corpo da pessoa delicadamente;
  6. Pode-se aplicar compressas de água fria na testa, pescoço, axilas e virilhas (exceto em idosos);
  7. Outra possibilidade é imergir a pessoa em água fria ou colocá-la em roupas ou panos encharcados.

DIAGNÓSTICO DA INSOLAÇÃO

A insolação normalmente é diagnosticada através dos sintomas apresentados pelo paciente. No entanto o médico pode lançar mão de exames para confirmar o diagnóstico ou verificar se houve dano a algum órgão. Os exames usados são:

Hemograma: principalmente para verificar as taxas de sódio e potássio e se há gases no sangue que possam indicar danos do sistema nervoso;

Exame de urina: para checar o funcionamento do rim;

Testes de função muscular: para ver se houve algum dano ao tecido muscular;

Exames de imagem, como o raio-X: para ver se houve danos em outros órgãos internos.

 

TRATAMENTO DA INSOLAÇÃO:

O tratamento para insolação consiste em reduzir a temperatura corporal da pessoa. Para isso, algumas técnicas são usadas:

  1. Levar a pessoa com insolação para um lugar fresco, com sombra e ventilação;
  2. Retirar o máximo de roupas possível;
  3. Se consciente, mantê-la em repouso e com a cabeça elevada;
  4. Oferecer bastante água fria ou outro tipo de líquido não alcoólico;
  5. Borrifar água delicadamente em todo o corpo da pessoa ou até mesmo fazer compressas de água fria na testa, axilas, pescoço e virilhas;
  6. Se possível, dar um banho frio ou envolvê-la com panos ou roupas molhadas.

PREVENÇÃO DA INSOLAÇÃO:

As medidas de prevenção da insolação são bem simples:

EVITE: permanecer sob o sol nos horários mais quentes do dia entre 10 e 16 horas

USE: roupas leves/claras e protetor solar com FPS 30 ou mais e evite queimaduras na pele

BEBA: mais líquidos do que sua sede sinaliza, evitando bebidas alcoólicas (elas provocam perda de líquidos)

CONSUMA: alimentos leves, como frutas e verduras

 

Neste material trazemos algumas dicas e precauções que devem ser tomadas nessa época do ano, que é tão quente! Faça download dos materiais de forma rápida, fácil e free:  Calor e os perigos da Insolação

Para evitar acidente de trabalho, segurança na indústria é fundamental

Para evitar acidente de trabalho, segurança na indústria é fundamental

Para evitar acidente de trabalho, segurança na indústria é fundamental

A segurança na indústria deve ser uma das principais preocupações dos gestores nos mais diferentes segmentos. Como se trata de produções com uma série de equipamentos e funções, é necessário garantir a integridade de todos os colaboradores. Para mensurar os significantes números, o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho aponta que de 2012 a 2017, foram perdidos 305.299.902 dias de serviço com afastamento de empregados por motivo de acidente de trabalho. No total, 3.879.755 acidentes foram registrados, com ou sem CAT. Já no que se refere a óbito, 14.412 mortes acidentarias foram notificadas, ambas no mesmo período. A CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) é um documento emitido para reconhecer tanto um acidente de trabalho ou de trajeto bem como uma doença ocupacional. O Observatório foi desenvolvido e é mantido pelo Ministério Público do Trabalho em cooperação com a Organização Internacional do Trabalho no âmbito do fórum Smartlab de Trabalho Decente.

É necessário implementar um conjunto de medidas dentro das empresas com o objetivo de prevenir o acidente de trabalho. A principal preocupação deve ser em proporcionar ambientes mais seguros para os colaboradores, de maneira a cumprir as determinações de segurança na indústria. A Portaria n.º 3.214 é a responsável por aprovar as Normas Regulamentadoras relativas à Segurança e Medicina do Trabalho. Se atentar a isso, além de demonstrar preocupação com o bem-estar do empregado, garante a produtividade da empresa e evita a perda de parcerias importantes.

Para evitar acidente de trabalho, segurança na indústria é fundamental

Para evitar acidente de trabalho, segurança na indústria é fundamental

Esperar que as máquinas utilizadas no dia a dia apresentem algum tipo de problema para então agir não é a melhor maneira de garantir a segurança na indústria. É preciso realizar um cronograma de atividades para a conservação dos equipamentos. Adotar medidas como o isolamento do local, bem como a devida sinalização, além de contar com profissionais e empresas especialistas em tal função é indispensável. Outras ações importantes de serem realizadas dentro da empresa são fornecer aos colaboradores os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) de acordo com o que a função que ele desempenha exige, como os protetores auriculares, capacetes e sapatos de segurança. Há também os Equipamento de Proteção Coletiva (EPC), como os cones, faixas de sinalização, alertas luminosos, entre outros.

Investir na capacitação da equipe também deve estar na lista de prioridades, já que a falta de instrução sobre o manuseio de determinado equipamento pode torná-lo mais vulnerável à quebra ou mesmo ao acidente de trabalho. Palestras com orientações, a ser ministrada por profissionais de segurança do trabalho, também são importantes. Para isso, podem ser exploradas datas relevantes como a Sipat (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho). Realizar ações preventivas é preocupar-se com os colaboradores, o que é fundamental para que eles se sintam motivados a produzir sempre mais e com segurança na indústria, melhorando os índices e crescendo a cada dia no conceito de satisfação.

(terra.com.br)

9 de dezembro Dia do Fonoaudiólogo

dia-do-fonoaudiólogo

Hoje comemoramos o dia do fonoaudiólogo, o profissional que trabalha com a comunicação em todas as idades. “Parabéns por seu dia

 

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

O gerenciamento das questões de Segurança e Saúde Ocupacionais no eSocial exige que se adote um novo paradigma, já que o processo de trabalho é dinâmico, variável e os eventos se inter-relacionam na plataforma.

Os riscos a que os trabalhadores estão expostos são decorrência direta do ambiente e dos processos de trabalho. Por isso, qualquer modificação no trabalho também poderá ocasionar modificação nas necessidades de prevenção. Dessa forma, os programas de prevenção de riscos e de controle da exposição também devem acompanhar essas modificações.

O maior desafio nesse sentido é planejar antecipadamente toda e qualquer mudança ou ação que tenha impacto na exposição dos trabalhadores.

Recomendamos atenção especial aos dados gerenciados pelo RH que se referem à descrição dos ambientes de trabalho, nomenclaturas de setor, cargo dos trabalhadores e ainda as atividades desempenhadas, pois devem ser atualizados em tempo real aos responsáveis pela SST.

3 pontos de atenção sobre SST:

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

Monitoramento dos locais e processos de trabalho

Modificações nos locais ou processos de trabalho devem ser monitoradas e acompanhadas para verificar seu impacto na exposição aos riscos ocupacionais.

Essas modificações deverão resultar em adequações dos Programas de Prevenção e Controle:

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

Criação de novos cargos e novas contratações

A criação de cargos novos também deve ser estudada frente aos programas, uma vez que os riscos ocupacionais devem ser determinados e avaliados de acordo com as novas atividades a serem desenvolvidas.

Já novos trabalhadores contratados devem ser enquadrados nos grupos de mesma exposição aos riscos, de acordo com a atividade a ser desempenhada. Só assim o exame médico admissional será realizado de forma correta.

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho: desafios e pontos de atenção

Cumprimento de prazos

Finalmente, as informações resultantes dessas mudanças devem ser enviadas no prazo correto ao eSocial.

A empresa deve se atentar principalmente aos seguintes eventos:

  • S-1060 – Tabela de Ambientes de Trabalho
  • S-2220 – Monitoramento da Saúde do Trabalhador,
  • S-2240 – Condições Ambientais do Trabalho – Fatores de Risco
  • S-2245 – Tabela de Equipamentos de Proteção
  • S-2210 – Comunicação de Acidente de Trabalho

A gestão desses grupos de informações é muito importante, pois as atualizações de um grupo geram a necessidade de atualização em outro grupo. As informações de setor pessoal e contábil não devem ser tratadas de forma isolada, já que se relacionam às informações de segurança do trabalho e há interdependência entre dados trabalhistas, previdenciários e fiscais.

Em outras palavras, a modificação de qualquer situação de trabalho em uma empresa pode gerar mudanças em pelo menos 3 grupos de informações a serem enviadas.

 

Trabalhando em segurança com ferramentas manuais

Trabalhando em segurança com ferramentas manuais

Trabalhando em segurança com ferramentas manuais

Consideradas inofensivas por alguns trabalhadores, as ferramentas manuais como martelos, alicates, limas e chaves de fenda podem ocasionar acidentes de trabalho. Seja devido ao mau uso, improviso, má conservação ou defeito.

Consideradas inofensivas por alguns trabalhadores, as ferramentas manuais como martelos, alicates, limas e chaves de fenda podem ocasionar acidentes de trabalho. Seja devido ao mau uso, improviso, má conservação
ou defeito. Confira algumas dicas e promova um trabalho seguro!

 

Trabalhando em segurança com ferramentas manuais

Trabalhando em segurança com ferramentas manuais

  • Use ferramentas de boa qualidade e tenha o treinamento necessário para o uso adequado;
  • Use a ferramenta certa, sem improvisar. Saiba inspecionar o equipamento e identificar os que estão em mau estado, que devem ser retirados do uso e destruídos;
  • Use os EPIs requeridos conforme a tarefa e ferramenta;
  • Mantenha os pulsos retos aos usar ferramentas manuais;
  • Garanta que você consiga uma boa “pega” na ferramenta;
  • Mangotes de pega em ferramentas manuais devem estar perfeitamente fixos, sem escorregar ou sair;
  • Reforme cabeças de punções ou trabalhadeiras que ficaram com as perigosas “cabeças de cogumelo”. Ou retire do uso;
  • Use ferramentas anti-centelha nas atmosferas explosivas;
  • As ferramentas elétricas devem ser da categoria correta de isolamento, em bom estado;
  • Prefira ferramentas com características ergonômicas;
  • Ferramentas de corte devem ser mantidas bem afiadas para redução do esforço, evitando acidentes;
  • Aponte sempre as ferramentas pontiagudas ou cortantes para longe de você;
  • Chaves de torque devem ser puxadas, não empurradas. Jamais use extensões para maior torque;
  • Transporte ferramentas em caixas próprias. Use cintos de ferramentas adequados. Não carregue ferramentas nos bolsos;
  • Mantenha o local de trabalho limpo e organizado.