Temperaturas baixas não devem desestimular a rotina de exercícios físicos

Temperaturas baixas não devem desestimular a rotina de exercícios físicos

Temperaturas baixas não devem desestimular a rotina de exercícios físicos

As temperaturas baixas que boa parte do país enfrentam nos meses de junho a setembro tendem a mudar a rotina dos praticantes de exercícios físicos e geram dúvidas sobre fazer ou não atividades ao ar livre durante o inverno. O médico Mauricio Milani, especialista em fisiologia do exercício e medicina do esporte, explica qual é a melhor maneira de manter o ritmo na estação com clima mais ameno.

Sobre as temperaturas baixas

As temperaturas baixas que boa parte do país enfrentam nos meses de junho a setembro tendem a mudar a rotina dos praticantes de exercícios físicos e geram dúvidas sobre fazer ou não atividades ao ar livre durante o inverno. O médico Mauricio Milani, especialista em fisiologia do exercício e medicina do esporte, explica qual é a melhor maneira de manter o ritmo na estação com clima mais ameno.

Sobre as temperaturas baixas

“O frio não pode ser desculpa. Pior mesmo é o sedentarismo, que traz grandes riscos à saúde”, ressalta Milani, que também é triatleta. “Em países com temperaturas bem mais baixas, as pessoas continuam se exercitando normalmente”.

A diferença na hora de fazer atividade física no frio está nos detalhes, como vestimenta, aquecimento e alongamento.

“A primeira atitude a ser tomada é se agasalhar bem. Depois, tome bastante cuidado com alongamento e aquecimento. Em baixas temperaturas, os tendões e musculatura estão mais rígidos, então demanda um alongamento um pouco mais cuidadoso. E vale lembrar que o alongamento não aquece o corpo. Como está mais frio, o praticante de atividade física deve fazer um aquecimento mais longo, num ritmo menos intenso. Se você vai correr, por exemplo, primeiro comece com uma caminhada, depois acelere um pouco o passo. Só quando o corpo estiver realmente aquecido, quando o fluxo sanguíneo aumentar, inicie a corrida”, explica Milani.

Para quem pratica esportes aquáticos, também vale a pena prestar atenção no choque térmico ao sair da água. “Muitas pessoas nadam em piscinas aquecidas, então é bom tomar cuidado com a variação de temperatura. Estar bem agasalhado após a atividade é essencial”, aponta Milani.

Outra dúvida bastante comum na época do frio diz respeito às mudanças no organismo, como a pressão sanguínea, por exemplo. Milani, que também é especialista em reabilitação cardiovascular, dá os detalhes: “O frio realmente aumenta o fechamento das artérias, mas a questão do aumento da pressão depende de uma série de fatores. Se a pessoa não tem problemas vasculares, como hipertensão, as alterações de um exercício no frio não são significativas. Se a mudança na pressão não for normal, pode ser a questão de um problema preexistente que ainda estava em uma fase assintomática e que a pessoa não tinha notado”.

 

 

Feliz Dia do Consumidor!

15 DE MARÇO: DIA INTERNACIONAL DO CONSUMIDOR

Todos nós somos, de alguma maneira, consumidores. Por isso, neste dia 15 de Março, comemore o seu dia!

Parabéns a todos os consumidores!

 

Feliz dia do Consumidor!

Feliz dia do Consumidor!

4 maneiras de evitar os incidentes de armazém mais comuns

4 maneiras de evitar os incidentes de armazém

4 maneiras de evitar os incidentes de armazém

 

Os funcionários que trabalham em um depósito estão expostos a várias atividades extenuantes que podem ameaçar seu bem-estar. De acordo com a OHSA, o número de acidentes relacionados a empilhadeiras chega perto de 100.000 por ano (100 acidentes fatais, 34.900 acidentes com ferimentos graves e 61.800 acidentes não graves). Como resultado, aqueles que lidam com equipamentos de manuseio de materiais pesados, como empilhadeiras, precisam tomar precauções especiais para garantir que os materiais que transportam sejam manuseados adequadamente. Aqui estão quatro incidentes de armazém mais comuns que você pode facilmente evitar para evitar ferimentos e aumentar a produtividade no local de trabalho.

Deslizamentos & Quedas

O armazém é um lugar com muitas coisas. Seus corredores estreitos, pilhas altas de mercadorias e pouca iluminação são os ingredientes exatos que podem comprometer a visibilidade. Escorregar e tropeçar em materiais ou líquidos derramados são acidentes comuns que podem ser evitados se o armazém mantiver iluminação adequada e equipar cantos escuros com luzes especiais que podem ser facilmente ligadas e desligadas. Remova degraus ou cordões desnecessários e incentive os funcionários a nunca deixar nenhuma carga, caixa e mercadorias sem supervisão no chão.

Se um funcionário do depósito precisar sair temporariamente do piso, é importante que ele mova os materiais para fora do centro do corredor enquanto mantém as luzes acesas. Nos casos em que algo é derramado, os funcionários devem tomar as medidas adequadas para fechar a área com sinais visíveis e limpar o mais rápido possível.

Quedas

As tarefas no depósito às vezes levam os funcionários a lugares relativamente altos do chão. Trabalhar com materiais complicados e pesados ​​em pontos altos aumenta a possibilidade de os funcionários caírem e sofrerem ferimentos graves. De acordo com o Departamento do Trabalho, escorregar, tropeçar e cair são os acidentes mais comuns da indústria . Eles perfazem 15% de todas as mortes acidentais. Além disso, os acidentes fazem com que os armazéns percam mais de 95 milhões de dias de trabalho por ano.

Como resultado, é fundamental que os armazéns não só forneçam iluminação adequada e consertem pisos irregulares, mas também trilhos de segurança, correias e até mesmo tapetes antiderrapantes para equipar seus funcionários para a segurança e o sucesso .

Fogo

Embora não seja discutido com frequência, os incêndios em armazéns podem prejudicar gravemente sua empresa. Os incêndios em armazéns podem ter consequências dispendiosas e devastadoras, mas são considerados um dos incidentes mais evitáveis. Para evitar que esse desastre aconteça em seu deposito, certifique-se de:

  • Certifique-se de que seu armazém passe pela inspeção de incêndio
  • Instale sistemas de sprinklers, ao mesmo tempo em que oferece aos funcionários acesso fácil a ferramentas de extinção de incêndio
  • Mantenha os cabos elétricos em boas condições e inspecione-os quanto a danos. Elimine os fios gastos e os cabos de extensão antigos.
  • Lidar com todos os fluidos e gases inflamáveis ​​com o equipamento certo

Ergonomia e manuseio inadequado de materiais
Funcionários saudáveis ​​são mais capazes de manter um alto nível de alerta e capacidade de resposta do que aqueles que sofrem de doenças e lesões relacionadas ao trabalho. Certifique-se de dar aos seus funcionários algum tempo para relaxar e recuperar o fôlego ao longo do dia. Enfatize a importância da segurança e do bem-estar do trabalhador em suas reuniões mensais com os funcionários, para que todos tenham a oportunidade de revisar algumas das regras básicas de manuseio de materiais de segurança. Fornecer treinamento e equipamento de proteção adequados para todos os funcionários.

Permanecendo Segura

No final do dia, você quer ter certeza de que o ambiente de trabalho que você cria e as tarefas que você atribui aos seus funcionários seguem os mais altos padrões de segurança. Ao manter uma iluminação adequada e equipar seus funcionários com as ferramentas certas, você verá menos lesões e maior produtividade.

Feliz Dia Internacional das Mulheres!

“Mulher: Indescritível criatura cuja incansável e inestimável força de viver, nos torna insignificantes diante dela.” Uma homenagem do Grupo Mednet Feliz Dia das Mulheres!!! 💁‍♀ 👏 🎉 #DiaDaMulher #DiaInternacionalDaMulher #InternationalWomensDay

Março Marinho: mês de combate ao câncer colorretal

Março Marinho: Mês do combate ao Câncer Colorretal

Prevenir o câncer colorretal significa evitar os fatores de risco que aumentam as chances de desenvolver a doença. Para que isso aconteça, muitas vezes, é preciso modificar os nossos hábitos.

Alguns aspectos importantes para a prevenção do câncer colorretal são:

Rastreamento

O rastreamento do câncer colorretal é extremamente importante na prevenção da doença. A partir do momento em que as primeiras células anormais começam a formar pólipos até se tornarem câncer colorretal propriamente dito, normalmente leva cerca de 10 a 15 anos. O rastreamento regular pode, em muitos casos, prevenir completamente o câncer colorretal, porque a maioria dos pólipos diagnosticados é removida antes que tenham a chance de se transformar em câncer. O rastreamento também pode diagnosticar o câncer colorretal em estágio inicial, quando é altamente curável.

A recomendação é para que pessoas com 45 anos ou mais façam exames regulares para detecção precoce da doença. Pessoas com histórico familiar ou outros fatores de risco para pólipos ou câncer, como doença inflamatória do intestino, devem conversar com seus médicos para estabelecer o início dos exames de rastreamento mais precocemente ou realizá-los com mais frequência.

Peso corporal, atividade física e dieta

Você pode reduzir seu risco de câncer colorretal gerenciando alguns dos fatores de risco controláveis, como:

  • Peso. Ter excesso de peso ou ser obeso aumenta o risco de câncer colorretal em homens e mulheres, mas isso parece ser mais forte em homens. Ter excesso de gordura na barriga também está associado à doença. Manter um peso saudável e evitar o aumento de peso pode ajudar a diminuir o risco.
  • Atividade física. O aumento do nível de atividade reduz o risco de câncer colorretal e de pólipos. A atividade regular moderada reduz o risco, mas a atividade vigorosa pode ter um benefício ainda maior. Aumentar a intensidade e a quantidade da atividade física pode reduzir o risco.
  • Dieta. Em geral, as dietas ricas em vegetais, frutas e grãos integrais (e com pouca carne vermelha ou processada) estão associadas a um menor risco de câncer colorretal, embora não esteja claro quais fatores sejam importantes. Alguns estudos mostraram ligação entre carnes vermelhas e carnes processadas e o aumento do risco de câncer colorretal. Limitar o consumo de carnes vermelhas e processadas e ingerir maiores quantidades de vegetais e frutas podem ajudar a diminuir o risco da doença.
  • Alcoolismo. Vários estudos mostraram que a ingestão de álcool aumenta o risco de câncer colorretal, principalmente em homens. Evitar o excesso de álcool pode reduzir esse risco.

Recentemente, alguns estudos sugeriram que o consumo de fibra na dieta, especialmente de grãos integrais, pode diminuir o risco de câncer colorretal. Entretanto, esses estudos ainda estão em andamento.

Não fumar

O tabagismo a longo prazo está associado a um risco aumentado de câncer colorretal, bem como de muitos outros tipos de câncer e outros problemas de saúde. Parar de fumar pode diminuir o risco de câncer colorretal e de outros tipos de câncer.

Vitaminas, cálcio e magnésio

Alguns estudos sugerem que tomar ácido fólico, multivitamínico ou folato diariamente, pode diminuir o risco de câncer colorretal, mas esses estudos não são conclusivos. Na verdade, alguns estudos sugerem que o ácido fólico poderia ajudar os tumores existentes a crescerem. Mais pesquisas ainda são necessárias nessa área.

Alguns estudos sugerem que a vitamina D, proveniente da exposição solar, ou de determinados alimentos, ou mesmo ingerida na forma de pílula, pode reduzir o risco de câncer colorretal. Atualmente, como a preocupação de que o excesso de exposição ao sol possa causar câncer de pele, a maioria dos médicos não recomenda isso como uma forma de reduzir o risco de câncer colorretal. Mais estudos ainda são necessários para determinar se a vitamina D pode ajudar a prevenir o câncer colorretal.

Alguns estudos têm associado baixos níveis de cálcio na dieta a um risco aumentado de câncer colorretal. Outros estudos sugerem que o aumento da ingestão de cálcio pode diminuir o risco de câncer colorretal. O cálcio é importante por uma série de razões de saúde, além dos possíveis efeitos sobre o risco de câncer. Mas, devido ao possível risco aumentado do câncer de próstata em homens com alta ingestão de cálcio, não se recomenda aumentar a ingestão de cálcio especificamente para tentar reduzir o risco de câncer colorretal.

O cálcio e a vitamina D podem atuar em conjunto para reduzir o risco de câncer colorretal, uma vez que a vitamina D ajuda na absorção de cálcio do organismo. Ainda assim, nem todos os estudos mostraram que os suplementos desses nutrientes reduzem o risco.

Alguns estudos mostraram uma possível ligação entre uma dieta rica em magnésio e o risco reduzido de câncer colorretal, especialmente entre as mulheres. Entretanto, mais pesquisas são necessárias para determinar se essa ligação realmente existe.

Anti-inflamatórios não esteroides

Muitos estudos mostraram que pessoas que tomam aspirina regularmente ou outros anti-inflamatórios não esteroides, como ibuprofeno e naproxeno, apresentam menor risco de câncer colorretal e pólipos.

Mas a aspirina e outros anti-inflamatórios não esteroides podem provocar efeitos colaterais importantes, como sangramento por irritação do estômago ou úlceras no estômago, que podem superar os benefícios desses medicamentos para o público em geral. Por esta razão, a maioria dos médicos não recomenda o consumo desses medicamentos apenas para reduzir o risco de câncer colorretal.

Terapia de reposição hormonal para mulheres

Tomar estrogênio e progesterona após a menopausa, pode reduzir o risco de uma mulher desenvolver câncer colorretal, mas os cânceres diagnosticados em mulheres que tomam estes hormônios após a menopausa podem estar em estágio mais avançado.

Como tomar estrogênio e progesterona após a menopausa também pode aumentar o risco de doença cardíaca, coágulos sanguíneos, câncer de mama e câncer de pulmão, não é comumente recomendado apenas para reduzir o risco de câncer colorretal.

(Fonte: www.oncoguia.org.br)