setembro amarelo mes de prevenção ao suicídio

Setembro Amarelo – mês de prevenção ao suicídio

Setembro Amarelo – Mês de prevenção ao suicídio

 

O que é o setembro amarelo?

Setembro amarelo é uma campanha do Centro de Valorização da Vida que busca trazer o diálogo sobre o suicídio para a sociedade. Desde 2015 o mês busca a conscientização e a prevenção do suicídio

No mundo todo, aproximadamente uma pessoa se mata a cada 40 segundos. Só no Brasil, o suicídio  é a quarta causa mais comum de morte de jovens. O assunto é um tabu. Não falamos dele. A mídia evita por medo de aumentar os números, as pessoas evitam por medo do assunto em si e com isso, acabamos cortando o diálogo necessário.

Falar sobre suicídio é importante. É uma questão de saúde pública e é extremamente necessário.

 

Por que o setembro amarelo é tão importante?

O Setembro Amarelo é uma campanha que busca trazer o diálogo e prevenir o suicídio.

90% dos suicídios poderia ser evitado com ajuda psicológica. A maioria deles é causado por doenças mentais que não são tratadas porque muita gente nem sabe que precisa de tratamento.

Aproximadamente 60% das pessoas que morrem por suicídio não buscam ajuda.

Já pensou se isso se aplicasse a outras doenças ?Imagine se 60% das pessoas com fraturas não fosse ao médico ou se 60% dos pacientes com apendicite não se tratasse e você vai perceber que é estranho que tanta gente não busque ajuda… Isso porque nós, como sociedade, não falamos do assunto, não informamos as pessoas.

• Cerca de 17%dos brasileiros já pensou seriamente em suicídio.
• 4,8%deles já elaboraram um plano para isso.

Qual o objetivo da campanha do setembro amarelo?

 

O objetivo é a conscientização desse problema que tira tantas vidas todos os anos. O setembro amarelo é um mês de diálogo. É um mês que busca criar conversas sobre o assunto, deixar as pessoas que sofrem com pensamentos suicidas saber em que elas não estão sozinhas e que a morte não é solução.

O Setembro Amarelo busca salvar vidas através da informação e da conversa sobre este assunto sério que ainda é um tabu.

 

Como surgiu o setembro amarelo?

A cor amarela é usada para representar o mês da prevenção do suicídio por causa de Dale Emme e Darlene Emme. O filho do casal se matou em 1994, o que deu início ao programa de prevenção de suicídio. A fita amarela foi escolhida como símbolo do programa que incentiva aqueles que têm pensamentos suicidas a buscar ajuda.

Em 2003 a OMS instituiu o dia 10 de setembro para ser o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio.

 

Falar sobre o assunto é extremamente importante justamente para que possamos reduzir o número de pessoas vulneráveis. Para que possamos evitar suicídios, o diálogo é o primeiro passo. Conversar, trazer o assunto à tona e fazer com que essas pessoas saibam que não estão sozinhas e que existem meios de tratar estas doenças.

Centro de valorização da vida – CVV

O centro de valorização da vida é reconhecido como Utilidade Pública Federal desde a década de 70.

É uma organização sem fins lucrativos e filantrópica que busca dar apoio emocional e prevenção do suicídio para quem precisa. Desde 2015, é possível entrar em contato com eles através do telefone 188 de maneira gratuita.

 

Como procurar ajuda?

Basta ligar para o número 188 ou 141 (no caso dos estados do Maranhão, Paraná, Pará e Bahia). O atendimento é anônimo e realizado por voluntários que guardam sigilo. Também é possível acessar o chat online, enviar um e-mail ou ir a um dos postos de atendimento físico.
O Setembro Amarelo foi idealizado pelo CVV em 2015 e o mês escolhido é setembro pois é o mesmo mês do Dia Mundial para Prevenção do Suicídio, realizado no dia 10 de setembro.

 

Fatores de risco do suicídio:

  •  Tentativas anteriores;
  • Abuso de substâncias;
  • Ter entre 15 e 35 anos ou mais de 75 anos;
  • Histórico de suicídio familiar;
  • Falta de vínculos sociais e familiares;
  • Doenças terminais ou incapacitantes;
  • Desemprego;
  • Declínio social;
  • Divórcio;
  • Estresse continuado;
  • Extremos monetários;
  • Transtornos mentais…

COMO PEDIR AJUDA?

Se você está com pensamentos suicidas, é importante pedir ajuda. Fale com alguém próximo, conte para as pessoas o que passa pela sua cabeça. Ter alguém para conversar faz toda a diferença.

Se você não tem ninguém próximo com quem conversar, não hesite em ligar para o 141 ou 188 e conversar com um dos voluntários do Centro de Valorização da Vida. Eles estão lá para você e podem entender pelo que você está passando.

 

Como não reagir quando encontrar alguém assim…

 

Banalizar: Lembre-se de que a maneira como sentimos as coisas é diferente para todo mundo. Aquilo que a pessoa com pensamentos suicidas está sentindo é só dela e se está levando-a a sentir-se daquela maneira, é porque é sério.

Lembre-se também de que o suicídio é extremamente complexo e não pode ser atribuído exclusivamente a um evento, mas sim a vários fatores. Não banalize nenhum deles.

Condenar: Não julgue a pessoa. Você não sabe pelo que ela está passando e ela está pedindo ajuda, portanto busque não decepcioná-la. Dizer que o suicídio é covardia ou fraqueza não é nem verdade, nem ajuda.

Dar opinião: Pensamentos suicidas não são questão de opinião. Dizer que é “falta de religião” ou que a pessoa “quer chamar atenção” não ajuda, só piora.

Frases de incentivo: Dizer para a pessoa “pensar positivo” ou que “a vida é boa” não ajuda. A pessoa com pensamentos suicidas pode sentir-se ainda pior por não conseguir sentir-se melhor, achando que a culpa disso é dela, quando não é.

Brigar: Os pensamentos suicidas são sintomas e não uma escolha. Fazer a pessoa sentir-se culpada só piora a situação.

COMO AJUDAR?

Escute: Encontre lugar apropriado e particular e escute o que a pessoa tem para falar.

Incentive-a a buscar ajuda profissional Abrir-se com alguém próximo é um primeiro passo importante, mas a ajuda profissional faz grande diferença e é onde e se possível iniciar um tratamento.

Mantenha o contato Acompanhe a pessoa, mantenha o contato e fique por perto. Esteja lá para a pessoa e a apoie em sua doença e tratamento.

Em caso de crises Se você acha que a pessoa está em perigo de se machucar no momento, entre em contato com profissionais de emergência e busque alguém da família.

Sinais de alerta do suicídio!

Preocupação com a própria morte: Quando uma preocupação com a própria morte surge de maneira repentina, pode ser um sinal. Visões negativas, ideias expressas em escrita, por fala ou desenhos, podem significar que a pessoa está pensando em suicídio.

Comentários e intenções suicidas: “Vou desaparecer”; “Queria nunca mais acordar”; “Vou deixar vocês em paz”; “É inútil tentar mudar, só quero me matar”.

Isolamento: Pessoas com pensamentos suicidas tendem a se isolar, não atendendo telefonemas ou cancelando eventos e atividades, mesmo as que costumavam gostar de fazer.

Desfazer-se de objetos: Um sinal que costuma aparecer quando a pessoa está próxima de se suicidar é dar de presente diversos objetos pessoais e importantes.

Tranquilidade repentina: Se alguém com depressão severa de repente parece muito feliz, aqueles a seu redor podem pensar que a pessoa está melhorando quando na verdade este é um sinal alarmante.

Por isso, se você estiver pensando em tirar sua própria vida, saiba que você não está sozinho e que existem formas de superar o sofrimento.

E é com consciência e atitude que, por mais de 24 anos, o Grupo MedNet está comprometido com a saúde e segurança dos trabalhadores brasileiros.

 

 

 

 

Setembro Amarelo – mês de prevenção ao suicídio – Download Baixar

Clínica Medicina do Trabalho: Grupo MEDNET – PPRAPCMSO NR 7 – Programa de Controle Médico de Saúde OcupacionalCIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – NR 9 – NR 7 – Exame Admissional

 

O que são hepatites virais

O que são hepatites virais

O que são hepatites virais

 

A final o que é Hepatite?

Hepatites são um grupo de doenças caracterizadas por uma inflamação das células do fígado. Elas podem ser causadas por agressões de agentes tóxicos, como o álcool, (e) medicamentos assim como por doenças autoimunes, metabólicas e virais.

No entanto, as mais comuns são as hepatites virais, ou seja, aquelas causadas por vírus.

As hepatites virais são separadas em letras do alfabeto (A, B, C, D e E), de acordo com o tipo de vírus que infecta o indivíduo

Quais os tipos de hepatite?

Hepatite Tipo A:

A hepatite A é uma doença contagiosa, causada pelo vírus A (VHA) e também conhecida como “hepatite infecciosa”. Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. Geralmente, não apresenta sintomas.

Hepatite Tipo B:

Causada pelo vírus B (HBV), a hepatite do tipo B é uma doença infecciosa também chamada de soro-homóloga. Como o VHB está presente no sangue, no esperma e no leite materno, a hepatite B é considerada uma doença sexualmente transmissível.

Hepatite Tipo C:

A hepatite C é causada pelo vírus C (HCV), já tendo sido chamada de “hepatite não A não B”. O vírus C, assim como o vírus causador da hepatite B, está presente no sangue.

Hepatite Tipo D:

A hepatite D, também chamada de Delta, é causada pelo vírus D (VHD). Mas esse vírus depende da presença do vírus do tipo B para infectar uma pessoa.

Hepatite Tipo E:

De ocorrência rara no Brasil e comum na Ásia e África, a hepatite do tipo E é uma doença infecciosa viral causada pelo vírus VHE. Sua transmissão é fecal-oral.

 

Quando devo me preocupar e fazer o exame da Hepatite?

  • Consumo de água e alimentos contaminados;
  • Sexo desprotegido;
  • Compartilhar agulhas para uso de drogas injetáveis;
  • Uso de material cirúrgico contaminado e não-descartável;
  • Compartilhar lâminas (cuidado em sessões de depilação ou tatuagem, manicure e barbearia);
  • Compartilhar escova de dentes;
  • Não usar material de proteção individual ao lidar com produtos biológicos;
  • Uso abusivo de álcool e medicamentos;
  • Não receber as vacinas contra as hepatites A e B se houver indicação.

Quais os sintomas da Hepatite?

Em grande parte dos casos, as hepatites virais são doenças silenciosas, o que reforça a necessidade de ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam os vários tipos de hepatites. Geralmente, quando os sintomas aparecem a doença já está em estágio mais avançado. E os mais comuns são:

. Febre;

. Fraqueza;

. Mal-estar;

. Dor abdominal;

. Enjoo/náuseas;

. Vômitos;

. Perda de apetite;

. Urina escura (cor de café);

. Icterícia (olhos e pele amarelados);

. Fezes esbranquiçadas.

Buscando ajuda Médica…

 

Toda pessoa com sintomas de hepatite como icterícia (pele e olhos amarelados), náusea e vômitos, dor abdominal, falta de apetite, urina com cor laranja escuro e fezes esbranquiçadas deve procurar um médico para obter o diagnóstico e definir o acompanhamento e tratamento necessários para evitar complicações.

 

Diagnóstico da Hepatite

O diagnóstico de hepatite é feito através da anamnese para identificar os sintomas apresentados e buscar fatores de risco para os diferentes tipos de hepatite a fim de definir os exames a serem solicitados visando estabelecer a causa da hepatite. No exame físico são buscados sinais de doença hepática como icterícia e aumento do fígado. Por fim, são solicitados os exames complementares cabíveis.

 

Tratamento da Hepatite

Não existe tratamento para a forma aguda da hepatite. Se necessário, apenas sintomático para náuseas e vômitos. O repouso é considerado importante no tratamento da hepatite pela própria condição do paciente.

Para a hepatite alcoólica, em certos casos mais graves, podem ser prescritos corticosteróides e muitas vezes se faz necessária a reposição de sais minerais e vitaminas.

No caso da hepatite A não existe tratamento específico. Para hepatite B crônica podem ser prescritos medicamentos antivirais. Já no caso da hepatite C são usados medicamentos antivirais tanto na fase aguda quanto na crônica.

No caso da hepatite medicamentosa o tratamento é de suporte, mas, se a causa for intoxicação por paracetamol, pode ser utilizada a acetilcisteína. E no caso da hepatite autoimune são utilizados corticosteróides e imunossupressores.

Prevenção da Hepatite

É mandatório o uso de equipamentos de proteção individual pelos profissionais que lidem com material biológico;

O não compartilhamento de alicates de unha, lâminas de barbear, escovas de dente, equipamentos para uso de drogas;

Deve-se evitar o uso abusivo de álcool e não se expor a outras substâncias que sejam tóxicas ao fígado, como determinados medicamentos;

E o mais importante, estar sempre em dia com a sua carteirinha de vacinação.

 

 

O que são hepatites virais – Download Baixar

 

O que é Hanseníase (Lepra), sintomas, tratamento e transmissão

O que é Hanseníase (Lepra), sintomas, tratamento e transmissão

O que é Hanseníase (Lepra), sintomas, tratamento e transmissão

O que é HANSENÍASE? LEPRA?

Hanseníase ou lepra, é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Mycobacterium leprae, existe em 2 tipos. Ela afeta principalmente os nervos superficiais da pele e troncos nervosos periféricos (localizados na face, pescoço, terço médio do braço e abaixo do cotovelo e dos joelhos) e ocasiona a diminuição da sensibilidade da pele.

Se não tratada na forma inicial, a doença quase sempre evolui, tornando-se transmissível.

O que ela Hanseníase afeta?

Ela afeta principalmente os nervos superficiais da pele e troncos nervosos periféricos (localizados na face, pescoço, terço médio do braço e abaixo do cotovelo e dos joelhos) e ocasiona a diminuição da sensibilidade da pele. Se não tratada na forma inicial, a doença quase sempre evolui, tornando-se transmissível.

Pessoas de qualquer sexo ou idade podem contrair a doença. A evolução ocorre, em geral, de forma lenta e progressiva, podendo levar a incapacidades físicas. O período de incubação pode durar de seis meses a seis anos.

 

Como acontece a transmissão da Hanseníase?

  • Secreções das vias aéreas superiores;
  • Gotículas de saliva, ou seja, através do ar, tosse ou espirro.

 

Números da Hanseníase preocupantes…

Entre os anos de 2012 a 2016, foram diagnosticados cerca de 151.764 casos novos de hanseníase no Brasil, equivalendo a uma taxa média de detecção de 14,97 casos novos para cada 100 mil habitantes; desse total, cerca de 55,6% acometeram homens na idade produtiva.

Em 2017, o Brasil ocupou a segunda posição em número de casos novos de hanseníase, com 28.761, correspondendo a 13,6% do número de casos novos no mundo. A primeira posição está com a Índia, com 127.326 registros.

 

Quais são os sintomas da Hanseníase?

  • Manchas na pele de cor parda, esbranquiçadas ou eritematosas, às vezes pouco visíveis e com limites imprecisos;
  • Alteração da temperatura no local afetado pelas manchas;
  • Aparecimento de caroços ou inchaço nas partes mais frias do corpo, como orelhas, mãos e cotovelos;
  • Dormência em algumas regiões do corpo causada pelo comprometimento da enervação. A perda da sensibilidade local pode levar a feridas e à perda dos dedos ou de outras partes do organismo;
  • Comprometimento dos nervos periféricos;
  • Alteração da musculatura esquelética principalmente a das mãos, que resulta nas chamadas “mãos de garra”;
  • Infiltrações na face que caracterizam a face leonina característica da forma virchowiana da doença.

 

Tratamento da Hanseníase

Ambos os tipos (paucibacilar e multibacilar) são tratados com o antibiótico rifampicina, durante seis meses no tipo paucibacilar e um ano no tipo multibacilar. A medicação é fornecida gratuitamente pelo Ministério da Saúde e administrada em doses vigiadas nas Unidades Básicas de Saúde sob a supervisão de médicos ou enfermeiros de acordo com normas da OMS.

A rifampicina elimina 90% dos bacilos. Por isso, é necessário complementar o tratamento com outra droga (DDS), que pode ser tomada em casa diariamente, até o final do tratamento.

Nos casos multibacilares, esse tratamento é acrescido de uma dose diária e de outra vigiada de clofazimina.

 

Recomendações para o tratamento da Hanseníase

Não desista do tratamento, que é longo, mas eficaz se não for interrompido. A primeira dose do medicamento é quase uma garantia de que a doença não será mais transmitida;

Convença os familiares e pessoas próximas ao doente a procurarem uma Unidade Básica de Saúde para avaliação, quando for diagnosticado um caso de hanseníase na família;

Não fuja dos portadores de hanseníase, uma doença estigmatizante, mas que tem cura, desde que devidamente tratada.

 

O que é Hanseníase (Lepra), sintomas, tratamento e transmissão – Download Baixar

Clínica Medicina do Trabalho: Grupo MEDNET – PPRAPCMSO NR 7 – Programa de Controle Médico de Saúde OcupacionalCIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – NR 9 – NR 7 – Exame Admissional

Medidas de segurança para os ciclistas

Medidas de segurança para os ciclistas

Medidas de segurança para os ciclistas

MEDIDAS PREVENTIVAS PARA MANTER A SEGURANÇA DOS CICLISTAS

Você sabe as medidas de segurança que se deve tomar quando utiliza a bicicleta? A cada dia que passa, o trânsito se torna mais perigoso. Por isto, é importante garantir a segurança dos ciclistas, que acabam sendo o lado mais frágil em qualquer situação de trânsito.

O aspecto principal é a atitude preventiva. Muitos trabalhadores utilizam a bicicleta para ir e vir do trabalho. Fique atento para algumas dicas.

A cada dia que passa, o trânsito se torna mais perigoso. Por isto, é importante garantir a segurança dos ciclistas, que acabam sendo o lado mais frágil em qualquer situação de trânsito. O aspecto principal é a atitude preventiva. Muitos trabalhadores utilizam a bicicleta para ir e vir do trabalho. Fique atento para algumas dicas:

– Atitude preventiva. Segurança do ciclista não é só usar capacete. Ele não evita acidente, pode apenas reduzir a lesão. Melhor mesmo é não ter acidente;

– Use sempre a iluminação de noite. Isto quer dizer um farol dianteiro. Usar durante o dia também ajudará na visibilidade. Se for de LED e piscante, melhor. Se for
montada no capacete é o ideal, pois você pode encarar aquele que não te percebeu. Um ciclista é quase invisível no trânsito, pois não ocupa espaço no campo de visão. Use também iluminação traseira;

– Evite vias com muito trânsito. Não use os caminhos que você faria com o carro. Utilize caminhos mais calmos. É claro que você tem o direito de ir por onde quiser, mas não adianta ter razão e não poder mais reclamar. Planeje o seu caminho “calmo”. Cruze as ruas agitadas ao invés de andar nelas;

– Acessório fundamental. Você precisa de um espelho retrovisor. Não é “fashion”, mas pode salvar sua vida;

– Ocupe mais a faixa, quando recomendável. É melhor usar mais a faixa, em certos casos, do que se espremer no meio-o. Você ca mais visível em cruzamentos. Em ruas estreitas de tráfego lento, evitará ultrapassagens de risco pelo pouco espaço. Também evitará o risco de que abram a porta na sua frente (a porta surpresa dos carros parados);

 

– Sinalize sempre seus movimentos. Use o braço do lado que vai virar. Tenha cuidado ao estender o braço (use espelho retrovisor), pois um carro pode atingi-lo;

– Repense o uso de tocadores de música e celulares. É muito importante ouvir o que se passa ao redor. A maior parte dos alertas rápidas é dada pela audição. Não aumente o seu risco;

– Dirija como se fosse invisível. Isto quer dizer, dirija de modo que não seja atingido mesmo se o motorista do carro não te perceber. Não dependa da percepção,
decisão e boa vontade dos outros. Se ele não perceber, vai bater em você. Não é o caso de arriscar;

– Faça as manobras mais arriscadas em momentos e situações mais calmas. Se você puder escolher, espere uma calmaria ou ponto favorável. Não force a situação. Você é o lado mais fraco.

 

Medidas de segurança para os ciclistas – Download Baixar

 

Esteja preparado para agir em situações de emergência

Esteja preparado para agir em situações de emergência

Esteja preparado para agir em situações de emergência

Constantemente estamos em locais em que se encontram uma grande quantidade de pessoas. Isto ocorre no trabalho, em eventos profissionais, restaurantes, cinemas, shows, shoppings, igrejas, parques, estádios, entre outros.

Por isso, é importante estar preparado para agir numa situação de emergência, afinal, o inesperado acontece quando menos se espera!

Constantemente estamos em locais em que se encontram uma grande quantidade de pessoas. Isto ocorre no trabalho, em eventos profissionais,
restaurantes, cinemas, shows, shoppings, igrejas, parques, estágios, entre outros. No entanto, é importante estar preparado para agir numa situação de
emergência, afinal, o inesperado acontece quando menos se espera.

• Ao entrar em qualquer local, verifique as condições do ambiente. Localize as saídas principais e de emergência;

• Planeje uma rota de fuga sinalizada e com iluminação de emergência;

• Veja se a porta de entrada, os corredores e as rotas de fuga são largos o suficiente e não estão obstruídos por cadeiras, móveis ou decoração impedindo, desta forma, a saída fácil de pessoas;

• Observe se a porta de saída não está bloqueada ou acorrentada;

• Coloque em seu celular o telefone do corpo de bombeiros (193) e de algum familiar, ou amigo, de forma a ser encontrado com facilidade em caso de emergência;

• Se estiver acompanhado por familiar ou amigo, estabeleça um ponto de encontro na rua para o caso de uma emergência;

• Certifique-se de que existam sistemas de segurança no local, tais como saídas alternativas, extintores de incêndio, sprinklers e detectores de fumaça, botoeiras de alarme de emergência;

• Verifique se próximo às saídas de emergência e rotas de fuga existem materiais combustíveis ou inamáveis como, por exemplo, cortinas, panos, tapetes, espumas, plásticos.

EM UMA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA:

• Reaja imediatamente. Ao ouvir um alarme ou ver fumaça ou fogo ou qualquer distúrbio incomum, saia imediatamente do local de forma ordenada e segura;

• Ao sair, que em lugar seguro e afastado. Jamais volte ao edifício, prédio ou local em chamas ou emergência. Deixe os bombeiros treinados realizarem as operações de resgate e combate ao incêndio.

 

Esteja preparado para agir em situações de emergência – Download Baixar

 

Proteção contra raios em ambientes externos

Proteção contra raios em ambientes externos

Proteção contra raios em ambientes externos

Em meio a tempestades com raios, onde você se protege? Será que abaixo de árvores é a melhor opção?

Nas tempestades com raios em ambientes externos existem poucas alternativas para reduzir os riscos. A segurança somente será completa dentro de um edifício protegido ou veículo. Confira em nosso material algumas dicas de como você deve se portar em determinadas situações.

Nas tempestades com raios em ambientes externos existem poucas alternativas para reduzir os riscos. A segurança somente será completa dentro de um edifício protegido ou veículo. Confira abaixo o que pode ser feito em determinadas situações.

ATENTE-SE:

• Ao ouvir o primeiro trovão, procure abrigo em edifício protegido ou veículo. Saia somente depois de 30 minutos após o último estrondo;

• Se for possível, acompanhe os serviços de alerta INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) ou das rádios locais. Para atividades de trabalho
externo de grandes equipes, esse serviço de alerta já existe;

• Planeje a retirada para locais seguros sempre que estiver em atividades externas de lazer ou esportes;

• Praia, quiosques e estruturas cobertas, porém abertas lateralmente não são meios de proteção, prefira um veículo;

• Em acampamentos, lembre-se que as tendas, churrasqueiras abertas e quiosques não são abrigos seguros.

 

SAIBA COMO MINIMIZAR O RISCO QUANDO NÃO HÁ ABRIGO SEGURO POR PERTO:

• Evite campos abertos, altos de morros ou platôs;

• Fique longe de árvores altas e isoladas, ou qualquer objeto alto. Se estiver em uma floresta, procure ficar perto de árvores baixas;

• Se estiver acampando, localize uma tenda em um vale ou outra área rebaixada, mas lembre-se de que tendas não são proteção;

• Fique longe da água, coisas molhadas e objetos metálicos, como cercas ou postes. A queda de um raio espalha corrente e pode matar a grandes distâncias, por
exemplo, como ocorre com o gado;

• Se estiver de bicicleta ou moto: pare, recolha-se para um abrigo;

• Na água: a maior parte dos acidentes ocorre em barcos pequenos, sem cabina. Se estiver no meio de uma tempestade, lance âncora e que o mais baixo possível, de preferência deitado dentro do barco. Nos casos de barcos projetados com proteção e cabines, utilize-a;

• Mergulhadores: se não possuir um barco seguro, mantenha-se profundo na água até acabar a tempestade.

 

Proteção contra raios em ambientes externos – Download Baixar

 

 

Medidas Preventivas no Almoxarifado

Medidas Preventivas no Almoxarifado

Medidas Preventivas no Almoxarifado

O seu local de trabalho além de organizado, também é seguro?

Local de grande circulação de pessoas e dos mais variados tipos de produtos, o almoxarifado é o setor responsável pelo controle de estoque de mercadorias e materiais utilizados pela empresa. No entanto, para se realizar a movimentação destes materiais é preciso seguir algumas medidas de segurança, pois é neste momento que podem ocorrer graves acidentes de trabalho.

ADOTANDO MEDIDAS PREVENTIVAS NO ALMOXARIFADO:

Local de grande circulação de pessoas e dos mais variados tipos de produtos, o almoxarifado é o setor responsável pelo controle de estoque de mercadorias e
materiais utilizados pela empresa. No entanto, para se realizar a movimentação destes materiais é preciso seguir algumas medidas de segurança, pois é neste
momento que podem ocorrer graves acidentes de trabalho.

COLABORADOR:

• Mantenha limpo e em bom estado o piso dos locais em que se manipulam e transportam materiais;

• Ao constatar que o peso a ser erguido está além de sua capacidade e que não há como utilizar meios mecânicos, solicite a ajuda de seus colegas de trabalho
para executar a tarefa;

• Conservar em boas condições todos os equipamentos destinados à movimentação dos materiais (empilhadeiras, elevadores, esteiras);

• Fazer uso de luvas ao manusear materiais cortantes, óculos, luvas, botas e avental para realizar o transporte de ácidos e calçados de segurança com bicos de aço no manejo de materiais pesados;

• Brincadeiras e competições para verificar quem levanta mais peso são terminantemente proibidas;

• Sempre que as mãos ou materiais estiverem sujos de óleo ou substâncias escorregadias, a manipulação destes deve ser evitada;

• Evite carregar materiais em demasia, pois isto dificulta a visualização do trajeto;

• Cuidado para não carregar os carretos e empilhadeiras em excesso;

• Não passe ou permaneça sob cargas que estão sendo movimentadas por guindastes ou pontes rolantes.

EMPRESÁRIO:

Adote o sistema de cores para auxiliar os trabalhadores a identificar máquinas e equipamentos de segurança, delimitar áreas e advertir contra perigos iminentes ou eventuais. O uso de cores como fator de segurança nos almoxarifados está previsto no item NB nº 76, da ABNT.

CORES E SIGNIFICADOS:

Espalhe cartazes com dicas de segurança e prevenção de acidentes em pontos estratégicos, sendo recomendado não deixa-los no mesmo local por mais de 30 dias consecutivos. Ao produzir e divulgar um novo cartaz, reúna os funcionários e faça a devida explicação do seu signifcado.

Adotando Medidas Preventivas no Almoxarifado – Download Baixar

Clínica Medicina do Trabalho: Grupo MEDNET – PPRAPCMSO NR 7 – Programa de Controle Médico de Saúde OcupacionalCIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – NR 9 – NR 7 – Exame Admissional

dia dos pais

Dia dos Pais

A mais bela e marcante herança que um pai pode deixar a seu filho é a construção do caráter e os passos a serem seguidos… Desejamos a todos os pais um Feliz Dia dos Pais!

dia dos pais

dia dos pais

Agosto Dourado

Agosto Dourado

Campanha ‘Agosto Dourado‘ mira conscientização sobre a importância da amamentação

Agosto Dourado

Agosto Dourado

Neste mês se comemora o Agosto Dourado. A campanha é dedicada à intensificação das ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno.

No Agosto Dourado, a comemoração é diferente e envolve todas as pessoas, de um modo geral, pois está relacionado a algo que a maioria das pessoas têm em comum: o leite materno como primeiro alimento.

A campanha “Agosto Dourado” tem objetivo de conscientizar a sociedade sobre a importância da amamentação. A Lei 13.435/2017 prevê a iluminação de prédios públicos com a cor dourada, a promoção de palestras e eventos e a divulgação de informações no rádio, na TV e na internet sobre os benefícios do aleitamento materno.

Segundo especialistas, a amamentação exclusiva até os seis meses, sem a oferta de água, por exemplo, previne doenças e reduz a mortalidade infantil. Crianças alimentadas com leite materno até 2 anos também desenvolvem, em média, mais inteligência, e têm maior escolaridade e renda.

 

Proteção Auditiva Saúde e Segurança do Trabalho

Proteção Auditiva Saúde e Segurança do Trabalho

Proteção Auditiva Saúde e Segurança do Trabalho

 

Durante uma jornada de trabalho, o trabalhador é exposto a vários níveis de ruído. Em determinadas atividades profissionais, essa exposição é constante e excessiva, podendo provocar a perda irreversível e permanente da audição.

No entanto, o uso de protetores auditivos, que devem ser fornecidos pela empresa, protege os trabalhadores desse risco! Você trabalhador está se protegendo corretamente?

Durante uma jornada de trabalho, o trabalhador é exposto a vários níveis de ruído. Em determinadas atividades profissionais, essa exposição é constante e
excessiva, podendo provocar a perda irreversível e permanente da audição. No entanto, o uso de protetores auditivos, que devem ser fornecidos pela empresa,
protege os trabalhadores desse risco.

POR QUE SE PROTEGER?

• Se o ruído obriga você a gritar para falar com alguém a um metro de distância, é sinal de que é excessivo. Você tem que se proteger;

• Não adianta dizer: Trabalho aqui a anos e estou ouvindo bem. A perda auditiva não é percebida porque é muito lenta;

• O único jeito de avaliar a perda auditiva de forma correta é pelo exame audiométrico periódico, feito depois de 14 horas de afastamento de qualquer ruído;

• Proteja-se antes de qualquer perda. Se você deixar a perda auditiva aumentar, ela vai somar com a perda que todos temos com a idade, e quando você se aposentar, não vai ouvir nada bem;

• Para você não ser um isolado social no futuro, proteja-se hoje.

QUAIS CUIDADOS TOMAR?

• Use a proteção adequada, recomendada pelo serviço especializado da empresa, que pode calcular a redução do ruído necessária e o tipo mais indicado;

• Aprenda a colocar corretamente o protetor. Deve haver treinamento para isso, especialmente se o protetor for de inserção (plug) e especialmente se for
de espuma que se expande;

• Cuidado com a interferência de outros EPIs. Se você utilizar um protetor tipo concha (abafador), a almofada deve encostar perfeitamente ao redor da
orelha. Não laceie o arco para diminuir a pressão. Ela é necessária para uma boa atenuação;

• Mantenha os protetores em bom estado, exija manutenção das partes deterioradas e troque regularmente os protetores descartáveis. Converse
sobre o ruído e o seu protetor com a fonoaudióloga ou o médico ao fazer seu exame audiométrico.

 

Proteção Auditiva Saúde e Segurança do Trabalho  –  Download Baixar

<a href=”https://mednet-sp3.com.br/”>Clínica Medicina do Trabalho</a>: Grupo MEDNET – <a href=”https://mednet-sp3.com.br/ppra/”>PPRA</a> – <a href=”https://mednet-sp3.com.br/pcmso/”>PCMSO NR 7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional</a> – <a href=”https://mednet-sp3.com.br/cipa/”>CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes</a> – NR 9 – NR 7 – <a href=”https://mednet-sp3.com.br/exame-admissional/”>Exame Admissional