setembro amarelo mes de prevenção ao suicídio

Setembro Amarelo – mês de prevenção ao suicídio

Setembro Amarelo – Mês de prevenção ao suicídio

 

O que é o setembro amarelo?

Setembro amarelo é uma campanha do Centro de Valorização da Vida que busca trazer o diálogo sobre o suicídio para a sociedade. Desde 2015 o mês busca a conscientização e a prevenção do suicídio

No mundo todo, aproximadamente uma pessoa se mata a cada 40 segundos. Só no Brasil, o suicídio  é a quarta causa mais comum de morte de jovens. O assunto é um tabu. Não falamos dele. A mídia evita por medo de aumentar os números, as pessoas evitam por medo do assunto em si e com isso, acabamos cortando o diálogo necessário.

Falar sobre suicídio é importante. É uma questão de saúde pública e é extremamente necessário.

 

Por que o setembro amarelo é tão importante?

O Setembro Amarelo é uma campanha que busca trazer o diálogo e prevenir o suicídio.

90% dos suicídios poderia ser evitado com ajuda psicológica. A maioria deles é causado por doenças mentais que não são tratadas porque muita gente nem sabe que precisa de tratamento.

Aproximadamente 60% das pessoas que morrem por suicídio não buscam ajuda.

Já pensou se isso se aplicasse a outras doenças ?Imagine se 60% das pessoas com fraturas não fosse ao médico ou se 60% dos pacientes com apendicite não se tratasse e você vai perceber que é estranho que tanta gente não busque ajuda… Isso porque nós, como sociedade, não falamos do assunto, não informamos as pessoas.

• Cerca de 17%dos brasileiros já pensou seriamente em suicídio.
• 4,8%deles já elaboraram um plano para isso.

Qual o objetivo da campanha do setembro amarelo?

 

O objetivo é a conscientização desse problema que tira tantas vidas todos os anos. O setembro amarelo é um mês de diálogo. É um mês que busca criar conversas sobre o assunto, deixar as pessoas que sofrem com pensamentos suicidas saber em que elas não estão sozinhas e que a morte não é solução.

O Setembro Amarelo busca salvar vidas através da informação e da conversa sobre este assunto sério que ainda é um tabu.

 

Como surgiu o setembro amarelo?

A cor amarela é usada para representar o mês da prevenção do suicídio por causa de Dale Emme e Darlene Emme. O filho do casal se matou em 1994, o que deu início ao programa de prevenção de suicídio. A fita amarela foi escolhida como símbolo do programa que incentiva aqueles que têm pensamentos suicidas a buscar ajuda.

Em 2003 a OMS instituiu o dia 10 de setembro para ser o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio.

 

Falar sobre o assunto é extremamente importante justamente para que possamos reduzir o número de pessoas vulneráveis. Para que possamos evitar suicídios, o diálogo é o primeiro passo. Conversar, trazer o assunto à tona e fazer com que essas pessoas saibam que não estão sozinhas e que existem meios de tratar estas doenças.

Centro de valorização da vida – CVV

O centro de valorização da vida é reconhecido como Utilidade Pública Federal desde a década de 70.

É uma organização sem fins lucrativos e filantrópica que busca dar apoio emocional e prevenção do suicídio para quem precisa. Desde 2015, é possível entrar em contato com eles através do telefone 188 de maneira gratuita.

 

Como procurar ajuda?

Basta ligar para o número 188 ou 141 (no caso dos estados do Maranhão, Paraná, Pará e Bahia). O atendimento é anônimo e realizado por voluntários que guardam sigilo. Também é possível acessar o chat online, enviar um e-mail ou ir a um dos postos de atendimento físico.
O Setembro Amarelo foi idealizado pelo CVV em 2015 e o mês escolhido é setembro pois é o mesmo mês do Dia Mundial para Prevenção do Suicídio, realizado no dia 10 de setembro.

 

Fatores de risco do suicídio:

  •  Tentativas anteriores;
  • Abuso de substâncias;
  • Ter entre 15 e 35 anos ou mais de 75 anos;
  • Histórico de suicídio familiar;
  • Falta de vínculos sociais e familiares;
  • Doenças terminais ou incapacitantes;
  • Desemprego;
  • Declínio social;
  • Divórcio;
  • Estresse continuado;
  • Extremos monetários;
  • Transtornos mentais…

COMO PEDIR AJUDA?

Se você está com pensamentos suicidas, é importante pedir ajuda. Fale com alguém próximo, conte para as pessoas o que passa pela sua cabeça. Ter alguém para conversar faz toda a diferença.

Se você não tem ninguém próximo com quem conversar, não hesite em ligar para o 141 ou 188 e conversar com um dos voluntários do Centro de Valorização da Vida. Eles estão lá para você e podem entender pelo que você está passando.

 

Como não reagir quando encontrar alguém assim…

 

Banalizar: Lembre-se de que a maneira como sentimos as coisas é diferente para todo mundo. Aquilo que a pessoa com pensamentos suicidas está sentindo é só dela e se está levando-a a sentir-se daquela maneira, é porque é sério.

Lembre-se também de que o suicídio é extremamente complexo e não pode ser atribuído exclusivamente a um evento, mas sim a vários fatores. Não banalize nenhum deles.

Condenar: Não julgue a pessoa. Você não sabe pelo que ela está passando e ela está pedindo ajuda, portanto busque não decepcioná-la. Dizer que o suicídio é covardia ou fraqueza não é nem verdade, nem ajuda.

Dar opinião: Pensamentos suicidas não são questão de opinião. Dizer que é “falta de religião” ou que a pessoa “quer chamar atenção” não ajuda, só piora.

Frases de incentivo: Dizer para a pessoa “pensar positivo” ou que “a vida é boa” não ajuda. A pessoa com pensamentos suicidas pode sentir-se ainda pior por não conseguir sentir-se melhor, achando que a culpa disso é dela, quando não é.

Brigar: Os pensamentos suicidas são sintomas e não uma escolha. Fazer a pessoa sentir-se culpada só piora a situação.

COMO AJUDAR?

Escute: Encontre lugar apropriado e particular e escute o que a pessoa tem para falar.

Incentive-a a buscar ajuda profissional Abrir-se com alguém próximo é um primeiro passo importante, mas a ajuda profissional faz grande diferença e é onde e se possível iniciar um tratamento.

Mantenha o contato Acompanhe a pessoa, mantenha o contato e fique por perto. Esteja lá para a pessoa e a apoie em sua doença e tratamento.

Em caso de crises Se você acha que a pessoa está em perigo de se machucar no momento, entre em contato com profissionais de emergência e busque alguém da família.

Sinais de alerta do suicídio!

Preocupação com a própria morte: Quando uma preocupação com a própria morte surge de maneira repentina, pode ser um sinal. Visões negativas, ideias expressas em escrita, por fala ou desenhos, podem significar que a pessoa está pensando em suicídio.

Comentários e intenções suicidas: “Vou desaparecer”; “Queria nunca mais acordar”; “Vou deixar vocês em paz”; “É inútil tentar mudar, só quero me matar”.

Isolamento: Pessoas com pensamentos suicidas tendem a se isolar, não atendendo telefonemas ou cancelando eventos e atividades, mesmo as que costumavam gostar de fazer.

Desfazer-se de objetos: Um sinal que costuma aparecer quando a pessoa está próxima de se suicidar é dar de presente diversos objetos pessoais e importantes.

Tranquilidade repentina: Se alguém com depressão severa de repente parece muito feliz, aqueles a seu redor podem pensar que a pessoa está melhorando quando na verdade este é um sinal alarmante.

Por isso, se você estiver pensando em tirar sua própria vida, saiba que você não está sozinho e que existem formas de superar o sofrimento.

E é com consciência e atitude que, por mais de 24 anos, o Grupo MedNet está comprometido com a saúde e segurança dos trabalhadores brasileiros.

 

 

 

 

Setembro Amarelo – mês de prevenção ao suicídio – Download Baixar

Clínica Medicina do Trabalho: Grupo MEDNET – PPRAPCMSO NR 7 – Programa de Controle Médico de Saúde OcupacionalCIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – NR 9 – NR 7 – Exame Admissional

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *